18º Meo Sudoeste – Quarto Dia (10 de Agosto)

IMG_2050

 

Chegou o Dia D, assim apelidado pela organização deste Meo Sudoeste. O dia está totalmente reservado à música electrónica e às suas vertentes.

Chega-se cedo ao recinto com intenção de angariar o máximo de brindes possíveis e ver o que ainda não vimos em relação em espaço. Pouco passavam das seis da tarde quando ouvimos uns ritmos vibrantes a virem da direcção do Palco Meo, é o DJ Djeff Afrozilla, que nos faz “as honras da casa” com um set bastante vasto, passando por vários estilos musicais como poprockafrodancehouse.

IMG_2043

A tarde continua, num meio deveras acolhedor, quando o tão bonito sol do Sudoeste começa a ir-se embora, com muita pena nossa. Nesse preciso momento são os Karetus, grupo português, que sobem ao palco principal e a verdade é que naquele ambiente pedia-se outra coisa. O trio composto por André Reis, Carlos Silva e Paulo Silva chegava a um grande palco de um festival nacional mas sem terem as condições ideais, aquela onda muito pesada, do drum and bass, dubstep, do vocalista estar constantemente a proferir asneiras numa tentativa de cativar o público, não caíram bem às 19:30 e uma prova disso foi que poucos minutos depois de começarem a sua performance via-se muitas pessoas a dirigirem-se na direcção oposta do Palco Meo, porque, simplesmente, não era aquilo que elas queriam ouvir naquele preciso momento, talvez se fosse uma actuação mais tardia, já pela madrugada dentro teríamos presenciado um grande concerto mas assim não o foi nem me surpreendeu.

IMG_2058

As minhas esperanças, de ver algo diferente e que me surpreenda, estão agora em Kura, considerado melhor DJ nacional deste ano.  “Não me aqueceu, nem arrefeceu”, houve momentos iguais aos outros DJs todos mas o facto de ter misturado sucessos de bandas icónicas como Linkin Park, Red Hot Chili Peppers e The White Stripes foi um ponto a mais na sua performance.

Seguiu-se Benny Bennasi e posso afirmar que o italiano, com mais de 30 anos de carreira, foi o DJ que trouxe o set mais alternativo do festival, aqui sim vi e ouvi algo diferente do que me estava a ser imposto nos dias anteriores. “Satisfaction” foi o momento alto do seu espectáculo apesar de ter sido apresentada numa versão dubstep misturada com o remix de Skrillex de “Cinema”.

Mas um festival não é feito apenas dum palco e por isso fui para a Moche Room ver o que Dengaz tinha para entregar. O rapper provou que não é preciso ser-se um grande mestre da escrita para dar um bom espetáculo, apresentou-se na Herdade da Casa Branca acompanhado da sua banda e isso deu logo um toque especial à sua performance.

Voltamos para o Palco MEO, para assistir ao concerto de Example que regressa à um palco onde já foi muito feliz há dois anos atrás. O britânico veio apresentar “Live,Life Living”, seu mais recente trabalho discográfico lançado em Julho deste ano, e talvez por a maior parte dos temas serem desconhecidos do público em geral, o mesmo não reagiu como se esperava. Houve ainda espaço para no final da sua actuação, o cantor usar o Instagram para criticar severamente a zona VIP em frente ao palco, “Põe os verdadeiros fãs à frente. Todos os teus amigos VIP idiotas podem ir-se f*der e ficar nas filas de trás como uma marioneta de cabeça vazia.” Foram algumas das palavras escritas pelo músico na rede social.

Para terminar o 18º Meo Sudoeste veio um habitual conhecido do público, David Guetta. Apesar das várias presenças na Herdade da Casa Branca, as expectactivas estavam altas, o DJ mais comercial da actualidade não poupa os elogios ao público português e por isso o seu regresso é sempre recebido com grande euforia. Depois de uma transformação gigante no Palco Meo, mais pirotecnia, mais luzes, praticamente tudo aumentou para receber o francês,  apostou num set que eu chamaria “mais do mesmo”, tocou os seus hits, dos mais recentes aos mais antigos e na sua playlist ainda houve espaço para entrarem temas de outros DJs, alguns deles já tocados em noites anteriores, mas nesta altura da noite o público em geral só quer saltar e entrar no espírito “tu só vives 1x” em vez de reparar se já ouviu a música x ou y.  Depois de hora e meia de concerto chegou “Titanium”, música que conta com a participação de Sia Furler e que terminou a performance do DJ francês.

Na Moche Room, a festa continuou pela madrugada dentro com DJ Bl3nd, que se apresentou com a típica máscara e com Rui Vargas, DJ que esteve presente em todas as edições do festival e que teve a honra de “desligar as colunas do festival.”

Pelo 2º ano consecutivo a Buzz TV marcou presença no Meo Sudoeste, esperemos voltar para o ano para continuarmos a deixar a par tudo o que se passa na Herdade da Casa Branca.

Texto: Fábio Lopes

Equipa

Deixar uma resposta