20º Super Bock Super Rock – Primeiro dia (17 de Julho)

Chegou mais uma edição do Super Bock Super Rock. Este ano comemora-se o 20º aniversário do festival e conta com um cartaz de luxo. Nomes com Eddie Vedder, Massive Attack, Kasabian, Foals, Cat Power e muitos outros irão passar pela Herdade do Cabeço da Flauta ao longo do festival.

1

O Primeiro dia contava com Massive Attack como cabeças de cartaz. Mas as atrações não se ficavam por aqui. Tame Impala, Jake Bugg ou Disclosure prometiam levar muito publico até ao Meco.

 

Recinto1O dia começa com Erlend Oye no palco Edp. Metade da banda Kings of Convinence apresenta-se com um bonito por do sol como fundo. Num concerto em que a interação com o público foi fenomenal (a certo momento do espetáculo o musico teve que pedir uma palheta a um jovem da audiência), revelou-se com um momento bem passado. A simpatia do músico norueguês conquista o público rapidamente. Apesar de não ter sido possível acompanhar o concerto até ao fim (devido à sobreposição do concerto de Metronomy no palco principal), este tornou-se num momento feliz do festival.

 

Como já referimos, o concerto que se seguia era dos Metronomy. Com “Love Letters” editado este ano, a banda inglesa apresenta-se no meco com um novo estilo. Todos de branco e com nuvens como Background, o espetáculo começa com 2 temas de “Nights Out” de 2008. “Super Bock How do you do?” Pergunta o baixista antes de introduzir “Love Letters”. O espetáculo continuo com o publico a dançar ao som de um Pop eletrónico que a banda já nos habituou.

 

De seguida apresentavam-se os australianos Tame Impala. Carregados de Psicadelismo, a banda sobe ao palco com uma versão de Elton John. Entre “Solitude is a Bliss”, “Elephant” ou “Feels like we only go backwards” o concerto deu-se num ambiente morno, com o publico de olhos fechados a ser levado para outro planeta através dos acordes psicadélicos da banda.

 

Tame Impala

Tame Impala no Super Bock Super Rock

 

Massive Attack no Super Bock Super Rock

Massive Attack no Super Bock Super Rock

Chegava a hora dos britânicos Massive Attack subirem ao palco principal do festival. A banda que em palco tem vários vocalistas diferentes mas que tem Daddy G e 3G como cérebros do projeto, demonstrou o porque de serem considerados uma das melhores bandas de trip-hop da atualidade. A vertente visual do concerto foi muito forte, sendo mesmo um dos concertos com melhores componentes gráficos dos últimos tempos. Através de mensagens anti-Guerra, títulos de notícias recentes (em inglês e português) ou imagens contra as grandes empresas mundiais presentes em ecrãs gigantes que serviam como fundo do palco. “Teardrop” leva o público ao êxtase, mas foi em “Angel” que se sente a força da banda. Foi um privilégio para as 25 mil pessoas que assistiram a este concerto que acabou com a sensação de ter sido dos melhores concertos que vimos nos últimos tempos.

 

No final da noite ainda houve tempo para ouvir os ritmos dançáveis de Disclosure. A banda que o ano passado lançou “Settle” (que foi muito aclamado pela critica) chegou ao Meco depois da estreia em Portugal do ano passado. A atuação começou com alguns minutos de atraso e ainda teve uns problemas técnicos pelo meio, que levaram ao corte de “White Noise”, um dos temas mais conhecidos da banda.  Estes não foram fatores suficientes para atrapalhar os irmãos Lawrence. “You & Me”, “F for You” ou “Help Me Loose My Mind” foram motivos suficientes para o publico fazer a festa na pista de dança que se tornou o palco principal do festival. Para o fim ficou guardado “Latch”, que fechou o concerto da melhor maneira possível.

Disclosure no Super Bock Super Rock

Disclosure no Super Bock Super Rock

Para o segundo dia de festival esperam-se as atuações de Eddie Vedder, Cat Power, Woodkid entre outros.

 

Texto: António Almeida
Fotos: Fábio Lopes

Equipa

Deixar uma resposta