7º NOS Primavera Sound: Coisas a Não Perder!

Hoje começa mais uma edição do NOS Primavera Sound no Porto, abençoada pela chuva nortenha, e para não te aventurares sem rumo, trazemos-te o nosso top 15 de concertos que não podes perder ao longo destes 3 dias.

  • Ezra Furman

O artista americano promete encher o recinto de indie rock psicadélico e pop alternativo. Com uma voz única e irreverência nas suas músicas e performances, Ezra Furman pode ser um dos grandes concertos deste festival.

  • Lorde

Com um dos melhores álbuns pop de 2017, Lorde tornou a surpreender. Uma artista multifacetada, sem medos de mudança, sem medos do pop, e sem medos de palavras e letras cruas. Ver a Lorde neste festival não é só importante, é obrigatório.

  • Tyler, The Creator

Na sua estreia por terras lusitanas, Tyler, The Creator é provavelmente o artista mais aguardado desta edição. No seu mais recente álbum, Flower Boy, Tyler trouxe novas cores à sua música, com ritmos mais calmos, numa colagem de memórias e emoções, em que nos fala do que o assola, como a solidão, o amor, etc.

  • Mall Grab

O artista australiano transmite uma sensação de verão e roupas leves com os seus sets. A sua atitude divertida e as suas transições e misturas não permitem ficar parado e é impossível não batermos um pé. Um concerto que promete aquecer os corpos frios da chuva e pôr toda a gente a dançar.

  • Motor City Drum Ensemble

Num cartaz marcado também por grandes nomes da música eletrónica, Motor City Ensemble não podia ficar de fora. O artista, Daniel Plessow tem crescido de ano para ano e a sua agilidade e energia na música House têm-se tornado lenda.

  • Yellow Days

Estreou-se em 2016 com Harmless Melodies e desde aí que tem andado pelas bocas do mundo. Na sua simplicidade e calma, com influências de jazz, soul, hip hop e música eletrónica, o artista de apenas 18 anos pode trazer um concerto intimista e acalmar o parque da cidade.

  • Vince Staples

Num festival inundado de Hip Hop e R&B, não podia faltar um dos artistas mais importantes dos últimos tempos dentro do género. Com fusões da música eletrónica, hip hop, Vince Staples vai ser um dos grandes concertos a não perder deste festival.

  • Superorganism

Se a internet tivesse uma banda sonora, provavelmente suaria algo parecido a Superorganism. Uma das bandas revelação deste ano, vai encher o recinto com pop alternativo, ritmos alegres e coloridos.

  • Thundercat

O felino Stephen Bruner vai encher o recinto de jazz, R&B, hip hop, funk, soul, com toques de música eletrónica, numa sonoridade única, característica do seu trabalho. Já se consegue imaginar o céu estrelado, a noite fresca e os corpos dançantes espalhados pela relva.

  • ASAP Rocky

ASAP Rocky é sinónimo de entretenimento, adrenalina, mas também de momentos de reflexão e confissão. Espera-se um concerto frenético, com o chão a ondular por baixo dos nossos pés e por todo o lado pessoas a saltar e cantar.

  • Ibeyi

As gémeas Francesas-Cubanas trazem soul, jazz, música cubana e tradição ioruba pela mão das suas vozes límpidas e cristalinas. Músicas para a alma, para dançar e espantar as más energias, numa combinação única.

  • Luis Severo

O jovem cantor e compositor fala-nos de amores e desamores, histórias do quotidiano, através da sua voz calma e bonita. Um cantor que não deixa ninguém indiferente, uma das grandes promessas portuguesas.

  • Kelela

No campo do R&B, Kelela é dos nomes mais importantes deste cartaz. A cantora “abençoada” por Solange, traz-nos um R&B com camadas de música eletrónica e vocais e ritmos que nos transportam para os anos 90, inicio dos anos 2000.

  • Nick Cave and the Bad Seeds

Este senhor não precisa de apresentações. Nick Cave, um mutante, poeta romântico, punk selvagem, é o maior nome deste cartaz. Num trabalho marcado pelas confissões, luto e dor vai pôr o parque da cidade do Porto mergulhado em melancolia e lágrimas.

  • Nils Frahm

Em todos os seus concertos Nils Frahm cria um momento único, uma bolha onde só ele e o público existem. Vindo de Berlim, o artista promete transportar-nos para outra dimensão, outro planeta, onde a relva está quente e o sol bate-nos na cara.

Texto: Joana Martins

Equipa

Deixar uma resposta