BURAKA – “Não foram estes Buraka que eu conheci.”

Desde o início que os Buraka Som Sistema têm vindo a experimentar vários tipos de sonoridades, tendo sempre o Kuduro como base, mas não esperava um álbum tão diferente.

“Buraka” até começa bem, “Stoopid”, primeiro single do disco, faz-me lembrar certos temas vibrantes de álbuns anteriores (num nível muito mais mediano) mas a verdade é que consoante a audição do mesmo vou-me apercebendo que isto está com um intuito altamente comercial, de certo modo, até dá para sentir que há aqui uma intenção clara de ter músicas em programas da Rádio BBC, tocar em festivais europeus, músicas para serem incluídas em sets dos djs internacionais mais balados do momento e isto fez com que se perdesse a essência de Buraka ou, pelo menos, escondeu-a deste disco.

A vertente do Zouk Bass não foi bem conseguida, foi um tema um bocado “sem sal” e ao fim do 1º minuto torna-se aborrecido. Os ritmos fortes e energéticos africanos de outrora, estão praticamente desaparecidos, foram colocados em 3º/4º plano e não temos temas ao nível de “Yah!”, “Sound of Kuduro”, “Kalemba (Wegue Wegue)”, “Hangover (BaBaBa)” e “We Stay Up All Night”. 

Continuo grande fã da banda mas tenho pena de não ter recebido um álbum como Black Diamond ou mesmo Komba, álbuns que mudaram o mundo da música electrónica e a forma como a música africana era vista pelos portugueses em geral.

Buraka – “Não foram estes Buraka que eu conheci.”

Classificação: 5.1/10
Álbum: Buraka Som Sistema – Buraka
Lançamento: Junho de 2014
Crítica por: Fábio Lopes

 

Equipa

Deixar uma resposta