Pitchfork Music Festival 2016: É por isto que tens de ir para o ano;

img_1095

A nossa experiência no Pitchfork Music Festival foi bastante positiva, durante 5 dias, Paris não só recebeu alguns dos artistas mais emblemáticos da atualidade como também se transformou na na montra de novos artistas para o mundo.

Em 2017, o festival deve regressar à capital francesa e para complicar-te ainda mais a vida, em relação, às escolhas de festivais que tens de fazer, nós vamos partilhar-te alguns motivos para que não percas a próxima edição.

 

1 – Paris;

Paris é a capital francesa e todos nós temos a ideia que é apenas Torre Eiffel, Louvre e mais meia dúzia de museus secantes mas a variedade de experiências que podem ser proporcionadas na cidade, como por exemplo, um belo passeio de bicicleta por toda o centro ou tirar uma sesta durante a tarde num dos mil jardins da cidade são, claramente, um ponto a mais para a tua presença na cidade.

img_1604

 

2 – Pitchfork;

O festival é organizado pela Super (Promotora Francesa) e a Pitchfork que é um meio de comunicação online criado em 1995, desde então tem vindo a crescer de ano para ano, afirmando-se como uma das melhores publicações de música do mundo. Uma referência não só para nós mas para todos amantes de música. Em 2006 criam a 1ª edição do Pitchfork Music Festival, na sua cidade natal, Chicago e em 2011 trazem-no para a Europa, mais precisamente Paris.

img_0538

 

3 – Cartaz;

Todos os anos o cartaz do Pitchfork Music Festival é caracterizado por um estilo próprio. Apesar de não terem nenhum género musical definido apresentam sempre um cartaz misturado de artistas mais emblemáticos do momento com nomes emergentes do panorama musical. Este ano, tivemos nomes como cabeças de cartaz Nick Murphy, M.I.A (num dos seus únicos concertos este ano) e Moderat, três artistas que musicalmente não têm nenhuma ligação mas que se enquadram perfeitamente no perfil do cartaz do Pitchfork devido a versatilidade que nos têm apresentado nos últimos anos.

MIA

 

Texto: Fábio Lopes;
Fotos: António Almeida/Fábio Lopes;

António Almeida

Deixar uma resposta