Sereia Louca: “Um disco com Cabeça, um corpão e Cauda.”

Capicua

 

A primeira vez que ouvi Capicua foi na Mixtape do Sir Scratch e do Bob da Rage Sense “Incendiários”, algures em 2009, e já nessa altura senti que esta mulher do norte ainda viria a dar que falar. E mais uma vez provou que eu sou um “quase profeta” no que toca a estas coisas.

 

5 Anos passados e surge “Sereia Louca”, 2º álbum de Capicua e arrisco-me a dizer, um dos melhores álbuns dos últimos anos no panorama do Hip Hop Nacional. Claramente que aqui presenciamos que o Hip Hop é muito mais do que “Money, Bitches e Gangs”, algo que nos foi imposto pelos rappers norte-americanos, mas durante as 10 faixas do 1º disco, “Cabeça”, conseguimos observar através de uma escrita inteligente e sensível as diferentes posições das mulheres na sociedade contemporânea.

 

O que torna este álbum especial é o estilo próprio de Capicua, a sua escrita e a sua voz eloquente faz-nos ficar completamente agarrados ao disco, “Mão Pesada”, “A Mulher do Cacilheiro” e “Lupa”, que conta com a participação da grande revelação da música angolana Aline Frazão, são músicas que mexem connosco e tenho a certeza que mesmo quem não é fã do género musical não consegue ficar indiferente quando ouve pelo menos estas três músicas do disco.

 

As produções ficaram a cargo de Serial (Mind da Gap), DJ Ride, D-One, Conductor (Buraka Som Sistema), XEG e Stereossauro e no que toca a este assunto temos um disco mais calmo, não há instrumentais bombásticos como “Domingo”, “Judas e Dalilas” e “Maria Capaz” produzidos por Sam The Kid (músicas presentes no 1º álbum de Capicua) mas neste disco conseguimos sentir a conjugação perfeita entre a voz e o instrumental, nunca achando que uma parte ou outra está ali a mais…

 

Em “Cauda”, 2º disco do álbum que é composto por 6 músicas onde Capicua se junta a Mistah Isaac e They’re Heading West para rever canções que ganharam uma nova vida nos últimos tempos. É o disco ideal para nos metermos a ouvir durante uma tarde chuvosa em que só nos apetece descansar e ter aquele momento só nosso.

 

Sereia Louca: “Um disco com Cabeça, um corpão e Cauda.”

 

Classificação: 8.0/10
Álbum: Capicua – Sereia Louca
Lançamento: Março de 2014
Edições Valentim de Carvalho/Norte Sul
Crítica por: Fábio Lopes

Equipa

Deixar uma resposta