You’re Dead: “Primeiro Estranha-se, Depois Entranha-se”

flying_lotus_youre_dead

 

Como grande apreciador do estilo, estava impaciente à espera do lançamento de “You’re Dead”, novo álbum de Flying Lotus, conhecido por ter produzido diversos temas para alguns rappers norte-americanos como Mac Miller, Earl Sweartshirt e por ser considerado como um dos mais promissores produtores no mundo do Hip Hop.

Este “You’re Dead!” fez-me recuar até 2012, quando vi o seu espetáculo, às tantas da madrugada, numa tenda no festival Super Bock Super Rock, não conhecendo nada, na altura, espantou-me o facto de estar a ouvir algo focado na música electrónica mas com uma base muito forte de hip hop ou de um nu-jazz. Mas regressando a outubro de 2014 temos “You’re Dead”, e com uma identidade semelhante ao seu formato ao vivo, Lotus, faz nascer um álbum estranho e de difícil compreensão, pelo menos para mim, não esperava um álbum repleto de temas com um ar misterioso e sombrio.

A primeira vez que ouvi confesso que fiquei com aquela sensação de “o que é isto?”, mas como diz o ditado popular “primeiro estranha-se, depois entranha-se”. É um disco que pode ser mal compreendido para os fanáticos do Hip Hop, não há grandes beats, rimas e toda atitude do álbum é a volta da morte, da partida para um novo mundo, algo que a comunidade não está habituada a ouvir.

O álbum surge com 19 faixas, mas muitas delas nem sequer atingem os 2min de duração e tem alguns interlúdios lá pelo meio, não o tornando muito incómodo na sua audição. Já conhecíamos “Never Catch Me”, melhor tema do álbum, single que conta com a participação especial de Kendrick Lamar, e que ilustra bem o que se passa em todo o álbum. Instrumentais pesados, perdidos entre a electrónica e o hip hop e ainda com uma mensagem subliminar apoiada no tema da “morte”. Depois existem temas como “Tesla” onde há uma mistura de guitarras com acordes psicadélicos, com tambores, efeitos sonoros de filmes de ficção científica, enfim tudo misturado dá nessa faixa, interessante e fascinante. “Eyes Above” ou mesmo “The Protest” são outras músicas presentes no disco que merecem destaque e uma nota muito positiva.

Mas nem tudo são apostas ganhas, quando soube que o álbum teria uma participação de Snoop Dogg fiquei curioso, talvez devido às mais recentes colaborações do rapper que têm sido menos conseguidas, e com muita vontade de saber o que vinha dali, surgiu, “Dead Man’s Tetris”, tema em que o próprio Flying Lotus participa com voz, no seu pseudónimo “Captain Murphy”. Mas, rapidamente me deparo com um tema “sem sal”, apesar de ter apenas 2:26min, a voz “Hold up, hold up, I bet you thinking we’re dead/Hold up, hold up, I have a bullet in my head”, torna a música algo irritante, para não dizer que há instrumentais no disco onde o Big Snoop se encaixava melhor.

Apesar de tudo não deixa de ser um bom álbum para se ouvir, quando estivermos numa fase mais triste e melancólica da nossa vida, faz-nos refletir… não pelas letras, mas sim pelos profundos instrumentais que se vai ouvindo durante todo o disco.

 

You’re Dead: “Primeiro estranha-se, depois entranha-se.”

Classificação: 7.3/10
Álbum: Flying Lotus – You’re Dead!
Lançamento: Outubro de 2014
Crítica por: Fábio Lopes

Equipa

Deixar uma resposta