André 3000 fala sobre a reunião dos Outkast: “Senti-me um vendido”.

outkast

Nicolas Jaar realizou uma entrevista a André 3000, para a revista Fader sobre a reunião dos Outkast consumada este ano.

O músico foi claro em assumir que “não queria fazer a digressão”, acrescentando ainda ter-se sentido “um vendido”. André 3000 explica, na entrevista, que os Outkast “não davam concertos há dez anos” e “só tinham canções velhas” para mostrar.

“Pensei: como é que vou apresentar estas canções? Não tenho nada de novo para dizer. Então concluí que talvez pudesse dizer algo novo sobre estas músicas. Tornou-se um tema mais entusiasmante que o espectáculo. Era divertido. Senti-me estranho por voltar a fazer aquilo em palco. Senti que as pessoas pensaram: “só o estás a fazer pelo dinheiro”. Honestamente, senti-me um vendido”, contou ao produtor a propósito de uma exposição, em Miami, onde estão expostos os 47 uniformes usados durante a digressão.

Haviam alguns rumores antes do início da digressão que este reencontro poderia trazer um novo álbum do grupo mas o mesmo não se verificou. André assumiu que a principal motivação da tour foram os motivos financeiros “Tenho 39 anos, um filho com 17 e tenho que suportar algumas coisas. O meu parceiro Big Boi defendeu que era bom para nós. Por isso, pensei que havia um lado vendido mas também uma razão porque o estávamos a fazer. Ao dizer que era um vendido, não seria tão mau como fingir. Era honesto”.

Equipa

Deixar uma resposta