Grandfather’s House, uma “casinha” de surpresas.

11639235_1001975663176040_1546307231_o

O meu contacto com a banda Grandfather’s House era nulo até ao concerto da mesma no Sé La Vie, um bar na cidade de Braga, e fui imediatamente sugada pelos seus sons eletrizantes.

Aquela que começou em Braga em 2012 por ser uma one-man band, é hoje constituída por três elementos: Tiago Sampaio na guitarra, Rita Sampaio como vocalista e no teclado e João Costeira na bateria. Três pessoas de uma grande cumplicidade em palco que se reflete no ambiente de todo o concerto.

Com um som muito próprio e único, um indie rock meets blues, fascinaram desde o momento em que puseram os pés em palco.

Um espetáculo que contou com músicas do seu EP Skeleton, como a Drink of you, onde a vocalista (Rita Sampaio) demonstrou ter uma voz extraordinária, e contou ainda com a participação especial de Fernando Fernandes dos Bed Legs na música Life Deserves.

Todo o espetáculo nos envolve. As imagens psicadélicas atrás da banda que parecem ser o complemento perfeito da sua sonoridade, tudo nos faz esquecer o que está à nossa volta e estar ali.

Num mundo como o de hoje é difícil, mesmo no que diz respeito ao mundo musical, não nos deixarmos levar pelas suas constantes distrações (desde as notificações das redes sociais, até às publicidades mais variadas que competem constantemente pela nossa atenção), no entanto, isso parece não acontecer ao som de Grandfather’s House. Eram poucos os smartphones à vista e toda a gente parecia estar realmente ali, completamente presente.

Uma banda sem pretensões tanto a nível sonoro como como banda. Uma banda que deixa o público envolver-se na sua música. Uma banda para ver, rever e ouvir vezes sem conta. Uma banda para manter debaixo de olho.

Texto: Joana Martins

Equipa

Deixar uma resposta