SLS: “Agora a porra ficou séria”

SLS

Quem me conhece sabe que é raro encontrar um rapper como o Vilson nas minhas playlists pessoais, mas a verdade é que desde o início da sua carreira que tenho acompanhado todos os seus trabalhos e claramente posso afirmar que “agora a porra ficou séria”.

A sua convivência com rappers de maior experiência como NGA, Don G e o seu companheiro, de longa data, Resistente fez com que se notasse já uma grande evolução de “3000 Graus” para este “Sangue, Lágrimas e Suor”. Neste trabalho conseguimos reparar que Vilson já não é “um miúdo que anda a brincar em cima de beats”, visto que o mesmo traz as suas convivências, memórias passadas pesadas e o que espera para o seu futuro para cima de beats agressivos, aqueles que o Gangsta/Trap Rap nos habituou, do qual destaco as produções da “Intro” e “T4TS” que ficaram a cargo de Valdo Prod. e Nick Beats, respectivamente.

Se há duas mixtapes atrás, em “2000 Grauz”, eu estava a destacar as participações de luxo como J-Cap, Prodígio, Hugo Phoeenix (que agora é membro da Astro Records), entre outros… Nesta “SLS” sou obrigado a destacar a atitude agressiva positiva, ou seja, não em excesso e a versatilidade do rapper da Linha de Sintra, que numa faixa pode estar a rimar por cima de um instrumental meio kizombado (“#TAMUNAVIA”) como na faixa seguinte pode estar a rimar por cima de um instrumental reggae (“Cabeça Erguida”) e o mais importante é que apesar de não serem os estilos dominantes na música de Vilson, a sonoridade sai muito perto de perfeita.

Sem dúvida que está aqui o melhor trabalho discográfico de Vilson e se a notoriedade está a demorar a aparecer, é tudo uma questão de tempo porque com “Sangue, Lágrimas e Suor” será muito difícil não reconhecer o talento presente em mais uma promessa da nova escola do Hip Hop Nacional.

Classificação:  7.2/10
Álbum:  Vilson – “Sangue Lágrimas Suor”
Lançamento:  31 de Março de 2015
Crítica por:  Fábio Lopes

 

Equipa

Deixar uma resposta